sexta-feira, 14 dezembro, 2018

Olá leitores e espectadores do tão aclamado Casa Velha RPG!

Venho com esse post de apresentação + exposição, falar um pouquinho sobre mim e sobre como o famoso jogo de interpretações é importante.

Bom, daqui em diante serei um dos escritores e revisores dos textos daqui do site, então é provável que vocês me vejam mais tempo por aqui.

Embora eu seja bem jovem (sou de 1996), vários dos ambientes de algumas campanhas eu já conheci na minha infância (como por exemplo, o cenário em Duck Tales que o Ximu narrou em 17/11). O que eu quero dizer é que, o RPG é um ótimo meio pra tudo: para compartilhar nostalgias, para aprender coisas novas, para socializar, ensinar, e praticar o que eu considero ser pura magia!

Comecemos a refletir sobre o assunto em questão: e se o RPG tivesse sido aplicado de uma forma diferente nas nossas vidas, como por exemplo, em sala de aula? O quanto não teríamos absorvido a mais, apenas de estarmos em algumas aventuras narradas por um professor?

Vivemos em um tempo onde Universidades, em diversos cursos, com maior incidência em cursos de licenciatura, se dedicam a pesquisarem e escreverem artigos a fim de comprovar a eficácia de um ensino diferente, se baseando nas formas de narrativas do nosso querido Role Playing Game.

Como exemplo, fica a fala desse professor, que decidiu, de forma experimental, aplicar essa forma de narrativa para repassar aos alunos histórias concernentes ao descobrimento do Brasil:

“Conforme a narrativa ia desenvolvendo, percebi que os jogadores (as) participavam ativamente de todas as etapas do jogo, dessa forma a atenção que obtive como narrador era algo que todo o professor (a) almeja adquirir do aluno (a). Além da captação da atenção do aluno (a), percebi que os jogadores (as) melhoravam suas capacidades de sociabilidade entre eles próprios; essa sociabilidade desenvolve a capacidade de comunicação com as outras pessoas além de incentivar os trabalhos em grupos, hoje bastante exigidos profissionalmente. Não posso deixar de enfatizar que os jogadores (as) adquirem maior sensibilidade social quando vivenciam os personagens históricos e passam a relativizar seu próprio conceito de cultura e até mesmo modo de vida. Por exemplo, na primeira narrativa dos tupinambás alguns jogadores (as) simularam os portugueses e outros os nativos; os que simulavam os nativos perceberam a riqueza cultural destes personagens.”

O RPG já passou por fases difíceis, principalmente no nosso país, quando o Caso de Ouro Preto foi amplamente divulgado pela imprensa, a qual, de forma infeliz, atribuiu ao Vampire: The Masquerade, a culpa pelo assassinato da jovem Aline. No fim das contas, na fase de julgamento, os acusados foram julgados inocentes, e a conclusão foi de que o sistema em questão não teve nenhuma conexão com o sistema que conhecemos. Porém, durante todo esse tempo, não tivemos alguma retratação dos veículos midiáticos no nosso país, o que me entristece profundamente. Tais discursos fomentam e influenciam pessoas a terem um pensamento mais conservador e preconceituoso à essa prática tão saudável que todos temos (alguns a mais, outras a menos tempo, mas todos, no fim das contas, mestres, jogadores, professores e alunos nesse mundo fantástico que compartilhamos).

Creio eu que todos os professores e alunos, que fazem pesquisas científicas com o fim de comprovar a efetividade do RPG no ensino, e canais de mídia como Casa Velha, por exemplo, trazem muito o aspecto positivo do RPG, quanto às questões do exercício da imaginação e criatividade, e o mais importante de tudo, a sociabilidade e a amizade que se formam, não só em círculos dentro dos jogadores do canal, mas de jogadores e mestres de todo o país.

Reforço aqui a ideia do RPG lúdico, já que, o próprio Ministério da Educação incentiva e traz planos de aula em função da prática do storytelling em sala de aula.

Sejamos nós, juntamente de vários professores e estudantes, a mudança nessas ideias preconceituosas e conservadoras quanto à um ótimo instrumento de ensino, e reúne amigos a trocarem experiências e aprendizagens!

E é isso aí, espero ver vocês mais vezes por aqui (ou em alguma stream – nunca se sabe).

 

Material referenciado e muito bom pra poderem ler mais sobre o assunto que falei acima:

  1. http://www.historia.uff.br/estadoepoder/7snep/docs/090.pdf
  2. http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=12381
  3. https://www.youtube.com/watch?v=Z7PYCIRKApw

Ah, além disso, aproveito para compartilhar também o link pro Instagram do RPG Lúdico, um grupo que realiza um trabalho muito legal reunindo mesas, e divulgando o aspecto educacional do RPG, tudo isso ocorrendo em Caucaia, Ceará.

https://www.instagram.com/rpgludico/

Músico, pseudo-escritor, estudante de direito, e um ávido admirador das magias RPGísticas. also, made in 90's

Curta nosso Facebook!

SIGA-NOS

INSTAGRAM

Estamos ON!
Estamos OFF :(